Operação Grande Negócio apura desvio de gado

31
0
Compartilhar:

Policiais cumpriram nesta sexta-feira, dia 18, mandados de busca e apreensão em duas cidades do Vale do Caí – Barão e Harmonia, dentro da operação denominada Grande Negócio, da Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes Rurais e Abigeato. Sete mandados foram cumpridos em três regiões do Estado integrando a operação da Polícia Civil que apura possíveis desvios de gado furtado para, pelo menos, um frigorífico e outros estabelecimentos comerciais de produtos de origem animal. Além de Barão e Harmonia, foram cumpridos mandados nos municípios de Imigrante, Santa Clara do Sul e Caxias do Sul.

Conforme a Polícia, o principal alvo da operação é um empresário do Vale do Caí. As investigações tiveram início após a Polícia Civil ter recebido denúncias de possíveis  desvios de gado furtado, para frigoríficos gaúchos. Levantamentos preliminares apontam que o prejuízo causado seria de pelo menos 250 mil reais nos últimos três anos. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados porque a investigação ainda está em andamento. Diversos documentos, que podem esclarecer sobre as irregularidades, foram recolhidos para a análise. Além da Polícia Civil, a operação conta com o apoio da Secretaria Estadual da Agricultura, Abastecimento e Irrigação e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Os mandados foram expedidos pela Justiça de São Sebastião do Caí. Em razão dos fatos foram realizadas várias diligências, inclusive cruzamentos de informações entre os sistemas informatizados da Polícia Civil e da Secretaria de Agricultura, onde foi constatado que um empresário do ramo da consultoria, ligado a várias empresas e indústrias do ramo alimentício, possuidor de talão de produtor que lhe permitia apenas o comércio de citros, chegou a tirar mais de 250 mil reais em notas de produtor, em seu nome, referente à venda de gado para um dos frigoríficos investigados. Conforme as investigações o referido empresário/produtor não possuía lotação de gado junto à inspetoria veterinária. As vendas recebiam caráter de “legalidade fiscal” após o frigorífico emitir contranotas ao investigado, permitindo que ele declarasse os valores junto à Receita Federal. A suspeita é que o investigado esteja usando as movimentações para lavar dinheiro. As investigações apontam que em pelo menos uma das vendas comprovadas fiscalmente nem sequer abates foram realizados no frigorífico. Outro fato que chamou a atenção da Polícia Civil foi que as supostas vendas também eram realizadas sem a emissão de Guias de Trânsito Animal, o que é obrigatório. A Guia de Trânsito é o documento que contém as informações sobre o destino e condições sanitárias, bem como a finalidade do transporte animal. Uma cooperativa de laticínios, duas indústria de embutidos, dois frigoríficos e uma empresa de consultoria, além de uma residência, foram os alvos da investigação. Diversos documentos, que podem evidenciar irregularidades, foram apreendidos para posterior análise.

Guilherme Baptista

Crédito: Polícia Civil

Compartilhar: