Placas do Mercosul perdem obrigatoriedade

1169
0
Compartilhar:

Quase 260 mil veículos do Rio Grande do Sul adotaram a placa do Mercosul que perderá a obrigatoriedade. O modelo foi adotado em 17 de dezembro de 2018, e com a nova regra mais de 258,304 veículos adotaram a placa sem serem obrigados. Atualmente há cerca de 500 mil veículos com o novo modelo de identificação. Os proprietários de veículos acabam tendo um gasto maior, já que as placas do Mercosul variam entre R$190,00 e R$250,00
Na tentativa de reverter as decisões, a Associação Gaúcha de Fabricantes e Estampadores de Placas Veiculares está entrando em contato com Santa Catarina, Paraná e Bahia. O Presidente do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Eduardo Host, acredita que ainda poderão haver mudanças. “Quando tu cria empecilhos apenas querendo fundamentar em custos e não em segurança, esses custos são relativos, e eles têm que relativizar com a segurança que vai gerar. Eu vou ter um sistema pela metade, porque a insatisfação em segurança já foi gerada quando se tirou a identificação do Estado e do município. As pessoas estão inseguras principalmente nas pequenas comunidades” – afirmou Host.
De acordo com o Ministério da Infraestrutura, a atualização da regra vai fazer com que o motorista não assuma despesas ao ser obrigado a trocar a identificação do veículo.
O novo modelo de emplacamento será exigido apenas em casos de veículo 0km, substituição de placas por causa de mudança de categoria, furto, extravio, roubo, dano, mudança de município ou de Unidade Federativa ou em necessidade de instalar a segunda placa traseira.
Confira algumas mudanças a partir de 27 de agosto
Prazo para Estados implementarem o modelo
Como era
30 de junho de 2019
Como fica
31 de janeiro de 2020
Obrigatoriedade
Como era
Originalmente, o novo modelo, de quatro letras e três números, deveria ser adotado tanto por veículos novos ou na eventual transferência de posse ou de município de origem.
Como fica
A regra passa a valer apenas para automóveis zero quilômetro ou em casos de extravio, furto, roubo, dano, mudança de município ou de Unidade Federativa e em situações em que haja necessidade de instalação da segunda placa traseira. Caiu a obrigatoriedade no emplacamento no padrão Mercosul em transferência de veículo sem mudança de município.
Ondas “sinusoidais”
Como era
“Ondas sinusoidais” estavam entre os dispositivos previstos pela norma. Esse sinal funcionava como uma marca d’água no objeto interior da película de segurança, utilizada de maneira horizontal sobre os caracteres.
Como fica
A sinalização não estará mais presente no novo modelo, que seguirá com película retrorrefletiva e QR code.

Texto: Aline Hanauer

Foto: Reprodução/Internet

Compartilhar: