Reserva financeira para construção de nova ponte sobre o rio já tem saldo

653
0
Compartilhar:

A construção de uma nova ponte sobre o Rio Caí é uma importante obra de infraestrutura, com potencial de melhorar e facilitar a logística e o cotidiano de empresas e cidadãos, bem como na expansão da cidade e criação de novas frentes de desenvolvimento.  Além, é claro, é sabido, também, da necessidade de zelar pela preservação da atual ponte de ferro, que possui um grande valor histórico e potencial turístico.

Já foram arrecadados 307 mil reais desde a criação do fundo que em 2025 deve chegar a R$ 2 milhões
– Crédito : Prefeitura

Ciente desse desafio, que envolve investimento de grande vulto, a Administração Municipal criou no ano passado a Reserva Financeira para Construção de Nova Ponte, através da Lei Municipal 3.532/19. Conforme destaca o secretário da Fazenda e também idealizador do projeto, Jônatas Weber, os recursos da reserva são provenientes de: 0,5% da Receita Corrente Líquida (RCL); 50% da receita do Fundo Municipal do Plano Diretor; 25% da receita proveniente de alienações de bens móveis e imóveis; 25% da receita de cessão onerosa da folha de pagamentos do Executivo Municipal; 50% das devoluções do Poder Legislativo ao Executivo, relativas à sobra do duodécimo; Rendimentos de aplicações financeiras. ‘Dessa forma, a reserva atingiu, na data de 31 de janeiro de 2020, o montante de R$ 307.171,73’, afirma. ‘A tendência é que o aporte anual seja nesta faixa de valor, fazendo essa poupança crescer gradativamente. A previsão é que em 2025 a reserva supere a faixa de R$ 2 milhões’, complementa Jônatas.

No ano de 2020, o aporte relativo a 0,5% da Receita Corrente Liquida compôs 74,6% das receitas da Reserva, e o aporte decorrente de 50% da devolução de recursos da Câmara Municipal, 17,1%, sendo assim as principais receitas. ‘Esses valores poderiam ser aplicados imediatamente, em qualquer das inúmeras demandas de obras, porém, frente a necessidade e importância da construção de uma nova ponte, mesmo em ano eleitoral, a Administração Municipal, não abre mão do uso imediato em prol desta causa maior, de longo prazo’, ressalta o secretário.

Jônatas faz questão de destacar que o poder público precisa ser criativo e buscar soluções. ‘O Rio Caí divide a cidade. As partes devem ser interligadas e não podemos correr mais riscos. Somente com o orçamento anual é impossível este investimento. Com a reserva, mesmo a longo prazo, temos uma perspectiva real, e mais força para buscar aportes da União ou mesmo financiamentos’, revela. ‘O projeto tem por objetivo a constituição de meios financeiros, a capitalização para fazer frente a este investimento. Fatores como o tipo de ponte e seu local, são temas a serem definidos posteriormente’, enfatiza.

Outro fator relevante a ser considerado é que a construção de uma nova ponte irá reduzir consideravelmente o fluxo e carga sobre a ponte de ferro. Assim, a tendência é que esse verdadeiro patrimônio histórico do município de Feliz tenha maior durabilidade e longevidade. ‘Todos são sabedores da necessidade da construção de uma nova ponte, que liga o Centro, ao bairro do Matiel. Independente do lugar que ela seja construída, a reserva financeira é uma ação inovadora. Nós enquanto administradores, precisamos planejar o futuro da nossa cidade principalmente, a questão da mobilidade urbana’, afirma o prefeito Albano Kunrath.

 

Guilherme Baptista

Compartilhar: