Bispo Dom Carlos fala sobre a suspensão do pároco de Feliz

2718
0
Compartilhar:

Na noite de ontem, terça-feira, dia 5, durante reunião aberta na igreja Matriz de Feliz, foi anunciada a suspensão do exercício do ministério sacerdotal do padre Iuri Hummes Specht. Participaram do encontro o próprio padre Iuri, além do bispo Dom Carlos Gonçalves e Silva, mais o padre Pedro Nicolau Schneider, que passou a ser o novo pároco.

Em entrevista, o bispo Dom Carlos, explicou que foi acolhido o pedido de afastamento do padre Iuri, que era o pároco da Paróquia Santa Catarina, de Feliz. “Como sacerdotes temos alguns compromissos. E quando a pessoa amadurece que a situação não é possível, que fica uma certa ambigüidade, então o mais importante é vivermos como cristãos. São situações pessoais dele, que está encaminhando. E como é pároco quis fazer este contato direto com a comunidade, pela qual é muito ligado, amigo e se sentia muito bem no seu trabalho. Então fez esta escolha e estávamos junto com ele para dar o apoio”, declara. “Pediu uma licença, por tempo indeterminado. Não quer dizer quem um dia não possa voltar ao ministério. Nesse tempo ele terá que se organizar e se encaminhar. E no final de um determinado período vai dizer se isso é definitivo ou não”, completa. Segundo o bispo, faz cerca de vinte dias que vem conversando com o padre Iuri sobre esta situação. “Foi conversado com ele e com um grupo de padres para amadurecermos junto esta situação”, conta. “Somos todos cristãos e irmãos. É como um casamento. Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando e respeitando-se todos os dias. Quando um irmão vê que aquela forma dele viver o seu cristianismo não está correspondendo, ele vai partir para um outro caminho, mas continuando no caminho cristão”, ressalta.

O padre Iuri foi ordenado faz dois anos. Natural de Salvador do Sul, onde celebrou a sua primeira missa em 13 de maio de 2016, tem 28 anos. Entrou no seminário aos 14 anos. A família é bastante religiosa. Inclusive tem como tio avô o cardeal Dom Cláudio Hummes, uma das personalidades de maior prestígio na igreja católica.

Na noite de ontem, terça-feira, num momento de muita emoção, o padre Iuri confessou ter errado e pediu perdão a comunidade. Foi iniciativa sua o pedido de licença do ministério do sacerdócio, ressaltando a importância de falar a verdade. “Foi um momento difícil porque a comunidade leva um impacto. Mas todos no final nos abraçamos, rezamos e todos dando muito apoio ao Iuri. É muito importante a vocação sacerdotal, mas também a vocação familiar. Também temos que valorizar quando a pessoa abraça outro caminho, da vocação da família”, destaca o bispo Dom Carlos. “A vida cristã pode ser de várias formas. Tem a vida matrimonial, que abraçamos com muito amor. Tem os diáconos, que são ordenados e que são casados. E tem os padres. Ninguém é obrigado a ser padre. Não é imposto. É uma vocação, um chamado. E é uma riqueza para a igreja a vida celibatária. É uma configuração ao Cristo, que viveu uma vida casta. É importante ter esta naturalidade e ver quando a pessoa não pode continuar e abraça outro caminho. Sem drama, sem querer mudar tudo. Permanecemos unidos”, concluiu o bispo Dom Carlos.

O padre Nicolau Schneider, que é o vigário geral da Diocese, foi anunciado como novo administrador da Paróquia. Aos finais de semana, ele e o vigário paroquial Ludinei Vian irão celebrar as missas. Durante a semana a Paróquia terá ainda o auxílio de padres do seminário de Bom Princípio, do pároco de Vale Real, Luciano Royer, e de Alto Feliz, João Paulo Schaefer, para sepultamentos e atendimentos no hospital.

A Diocese de Montenegro emitiu uma nota em seu site (publicada abaixo) esclarecendo sobre o decreto de suspensão do padre Iuri.

Guilherme Baptista

 

Decreto de suspensão

Diocese de Montenegro, por meio do bispo diocesano, Dom Carlos Romulo Gonçalves e Silva, comunica oficialmente que, atendendo ao que foi requerido, por escrito, na data de 1º de junho de 2018, pelo Revmo. Pe. IURI HUMMES SPECHT, nascido a 27 de julho de 1989 e ordenado presbítero em 13 de maio de 2016, incardinado nesta Diocese de Montenegro e tendo consultado e obtendo a aprovação do CONSELHO DE PRESBÍTEROS, foi concedido, por tempo indeterminado, SUSPENSÃO do EXERCÍCIO do MINISTÉRIO SACERDOTAL e de tudo o que diz respeito ao Sacramento da ORDEM.

Na noite desta terça-feira, 5 de junho, Dom Carlos esteve com Pe. Iuri e toda a comunidade da Paróquia Santa Catarina, de Feliz, na Igreja Matriz, para fazer o anúncio. A Comunidade acorreu, muito emocionada, para um momento difícil para toda a Diocese.

Para atender ao bem espiritual e pastoral do Povo de Deus que se encontra nesta Igreja Particular, a partir de 05 de junho de 2018, e por tempo indeterminado, foi provisionado como administrador paroquial da Paróquia Santa Catarina, de Feliz, o Vigário Geral da Diocese de Montenegro, o Revmo. Sr. Pe. Pedro Nicolau Schneider. Esta missão pastoral Pe. Nicolau exercerá com o apoio do Vigário Paroquial, Pe. Ludinei Vian e dos padres da Área de Bom Princípio.

O encontro na Igreja Matriz da Paróquia Santa Catarina foi realizado em um clima de oração. “Nossa gratidão ao Pe. Iuri pelo tempo que caminhou conosco como seminarista e como presbítero. Nosso desejo é caminhar como irmão na vida cristã”, afirmou Dom Carlos.

Pe. Nicolau reitera o que já disse na reunião aberta desta terça-feira, recordando as palavras de São João Paulo II: “é preciso olhar ao passado com gratidão, pois tanta coisa bonita aconteceu. Mas também é importante olhar o presente com garra. É o momento de assumir o que está acontecendo, com força e coragem para viver o que significa esse momento, tanto para o Pe. Iuri quanto para a comunidade. Mas, sobretudo, é preciso olhar ao futuro com esperança. A vida continua, tem muita coisa bonita a ser vivida, a ser feita. Temos belos desafios que nos animam a continuar na caminhada. Devemos ampliar o horizonte, como um carro na estrada, não só olhando pelo retrovisor, onde a visão é limitada, mas olhar para a frente, com os faróis iluminando o caminho a ser percorrido. Chego na paróquia não para substituir o Pe. Iuri, mas para dar continuidade à caminhada que a comunidade já vinha fazendo com ele. E, para isso, conto com a boa vontade, compreensão, ajuda e a acolhida do povo, especialmente das lideranças já constituídas. Agradeço antecipadamente a acolhida da noite desta terça-feira, e agradeço aos padres da Área de Bom Princípio que irão suprir as necessidades pastorais urgentes, envolvendo a Pastoral da Esperança e dos Enfermos”, declarou Pe. Nicolau.

Contamos com a oração, a compreensão e o apoio de todos os paroquianos para a continuidade da missão pastoral neste momento particular.

Por Assessoria de Comunicação da Diocese de Montenegro.

 

Foto do padre Iuri, que está em licença por tempo indeterminado

Compartilhar: