O problema se repete: faltam professores nas escolas estaduais

732
0
Compartilhar:

O problema não é novo e se repete todo ano, principalmente no início do ano letivo. A falta de professores nas escolas estaduais novamente está deixando alunos sem aulas, situação que deixa pais preocupados e revoltados.

Na Escola Januário Correa, pais se reuniram com direção para pedir providências
– Crédito: Reprodução/FN

Assim como já aconteceu no ano passado, novamente a escola Januário Correa, do bairro São João, é uma das mais afetadas. Faltam professores em disciplinas como História, Ensino Religioso, Espanhol e Projeto de Vida. Alunos estão ficando períodos sem aula ou até sendo dispensados para ficar em casa. Preocupados com a situação, na manhã de hoje pais da 6ª série participaram de reunião com a direção, que mostrou a situação e as solicitações encaminhadas para a 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE). Alguns pais também fizeram contato com a CRE. O setor de Recursos Humanos (RH) da Coordenadoria, com sede em São Leopoldo, prometeu resolver a situação nos próximos dias.

A reportagem fez contato com algumas escolas estaduais de Montenegro, onde constatou que faltam professores em mais colégios. Aliás, em todas as escolas em que foi feito contato, foi informado que faltam profissionais. No Álvaro de Moraes, por exemplo, além de Espanhol, falta professor de Educação Física para séries iniciais. No CIEP Ivo Bühler, do bairro Senai, faltam três professores de currículo, de 1º e 5º ano, além de inglês e educação física. Na Escola de Ensino Média São João Batista, do centro, as aulas vão iniciar só na próxima sexta-feira, devido à recuperação do período de greve, mas já se tem informações de falta de professores de Literatura, Espanhol e Eletrotécnica.

A diretora do 5º Núcleo do CPERS/Sindicato, Juliana Kussler, diz que está sendo feito um levantamento do número de professores que faltam nas escolas estaduais em Montenegro e demais municípios. E cita a importância dos pais se mobilizarem, cobrando providências do Estado.

Resposta do Governo do Estado

A reportagem fez contato com a Secretaria de Educação do Estado (Seduc), que encaminhou resposta sobre a situação: “Para qualificar a Educação, aperfeiçoando a gestão e dando agilidade à reposição de professores dentro das salas de aula, o Governo do Estado autorizou, para 2020, a renovação de 19.980 contratos temporários.  Para aumentar o efetivo, ainda foram abertas mais de 5 mil vagas para professores e servidores da educação nas escolas estaduais que serão chamados diante das necessidades apresentadas pela Rede. A Seduc reitera que no caso da Escola Januário Correa, assim como em algumas situações específicas dentro do município de Montenegro, as demandas serão atendidas por ampliação de carga horária e reorganização do quadro de recursos humanos da própria instituição de ensino.”

 

Guilherme Baptista

Foto: Guilherme Baptista/FN

Compartilhar: